Cirurgia Pélvica Minimamente Invasiva


Cirurgia Pélvica Minimamente Invasiva

O principal objetivo de qualquer cirurgia é tratar a doença com a menor quantidade de dano possível ao paciente. Tal objetivo é atingido através da manipulação delicada e precisa dos órgãos e tecidos, da redução do tempo operatório, do sangramento e da utilização correta do material cirúrgico.

A cirurgia minimamente invasiva consiste no uso de técnicas e instrumental cirúrgicos específicos que permitem ao mesmo tempo maior precisão operatória e menor traumatismo, reduzindo o desconforto pós-operatório e permitindo a recuperação mais rápida do paciente. No campo da cirurgia pélvica especificamente destacam-se a laparoscopia e a cirurgia vaginal.

Durante a laparoscopia o abdome é inflado com gás carbônico e são realizadas 3 a 4 incisões de 0,5 a 2 centímetros de extensão cada. Por uma delas é inserida uma micro câmera que permite a visualização dos órgãos e estruturas abdominais com grande definição e aumento. Pelas outras incisões são inseridas pequenas pinças delicadas para a realização da cirurgia propriamente dita.

1. HISTEROSCOPIA DIAGNOSTICA

A histeroscopia diagnóstica ambulatorial é ferramenta fundamental para dignosticar patologias intrauterinas como os pólipos, miomas e outras alterações anatômicas do útero.

A histeroscopia tem a vantagem de ser um procedimento ambulatorial, pois a paciente recebe alta em pouco tempo e possível o diagnósitico da seguintes patologias:

·         Polipos

·         Miomas

·         Septos intrauterinos

·         Sangramento uterino anormal

·         Sangramento pós menopausa

·         Infertilidade

·         Neoplasia e hiperplasia de colo e endométrio

·         Identificação de corpo estranho, DIU

·         Malformações uterinas

·         Abortamentos de repetição

·         Cicatriz hipertrófica de cesariana

·         Endometrite

·         Adenomiose

·         Abortamento e mola hidatiforme

 

Na atualidade, nos grandes centros, são realizada biopsia intrauterina ou injuria endometrial, procedimentos que mostram um aumento da taxa de gravidez quando no ciclo seguinte da biopsa, é realizada a Fertilização In Vitro.

A biopsia intrauterina pre fertilização é rotina em nosso serviço

 

Contra indicações:

A histeroscopia tem como contra indicações a gestação em curso, a presença de doença inflamatória pélvica aguda e o sangramento em curso volumoso.

 

2. HISTEROSCOPIA CIRURGICA:

É indicada, muitas vezes, após a histerescopia diagnostica ou após outros diagnósticos de imagem.

É o procedimento cirúrgico de menor morbidade e mortalidade dos tratamentos das patologias benignas intrauterinas. As principais indicações são:

  • Polipectomia
  • Septoplastia
  • Lise de aderências
  • Miomectomias
  • Ablação do endometrio






Receba artigos e notícias da Clínica Fertilizar

Central de Atendimento
(47) 3027-4848 | 3027-4849
Joinville: Rua Abdon Batista, 47, Conj. 301 - Centro - Joinville
Blumenau: Rua Dr. Luiz de Freitas Melro, 395 - sala 708 - Edifício Columbia Center – Centro - Blumenau
Balneário Camboriú e Itajaí: Av. Cel. Marcos Konder, 1207, 11 andar , Sala 115 – Centro – Itajaí
Dr. Salomão Nassif Sfeir Filho
CRMSC 5240

Copyright © 2014. Todos os Direitos Reservados à Fertilizar.
Desenvolvido por VEG Digital