Clínica Fertilizar

Hormônio Anti-Mülleriano | Clínica Fertilizar

Hormônio Anti-Mülleriano

O que é Hormônio Anti-Mülleriano

O Hormônio Anti-Mülleriano (HAM ou AMH) é hoje o melhor marcador da reserva ovariana, ou seja, pode determinar indiretamente qual a quantidade de óvulos de que a mulher dispõe em seus ovários e pode ajudar na previsão da idade da menopausa.

Para que usamos o Hormônio Anti-Mülleriano

O Hormônio Anti-Mülleriano também é usado para o cálculo da dose das medicações necessária para a indução da ovulação. Tem como vantagem a possibilidade de ser dosado em qualquer fase do ciclo menstrual e de ser independente da ação de outros hormônios.

Para falar de Hormônio Anti-Mülleriano temos que nos remeter ao conceito de reserva folicular. Esta diz respeito à quantidade de óvulos de que a mulher dispõe em seus ovários. Para que se tenha uma noção, a mulher alcança o maior número de óvulos (em estágio de folículos primordiais) antes do nascimento, na metade de sua gestação (por volta das 20 semanas), correspondendo a 7 milhões. Ao nascer, este número já se reduz a apenas 2 milhões de folículos primordiais, e o processo de perda nunca cessa, independentemente de estar grávida, usar hormônios ou tomar pílula anticoncepcional.

Assim, na idade da primeira menstruação (menarca) restam 500 mil óvulos aproximadamente. Estes óvulos serão consumidos na média de 1.000 por ciclo menstrual, para que apenas um fique maduro (o folículo dominante); os demais sofrem um processo chamado de atresia (“morrem”). Dessa forma, chegamos aos 38 anos de vida com apenas 25 mil óvulos e aos 50 com praticamente zero.

Daí a importância de se engravidar antes da idade em que o número de óvulos torna-se crítico (35 ou 38 anos). Também deve-se levar em conta que a idade interfere diretamente com a qualidade deles, ou seja: menos óvulos e de pior qualidade.

Valores do Hormônio Anti-Mülleriano utilizados na Clínica Fertilizar:

Apenas como informativo, utilizo em minha própria clínica os seguintes valores do Hormônio Anti-Mülleriano como referência para determinar a provável resposta à indução da ovulação:

AMH < 0,16 ng/ml: MUITO BAIXA RESPOSTA.
Indica que a menopausa está próxima (ou já ocorreu). Esperamos por volta de 1 ou 2 óvulos à indução;

AMH entre 0,16 e 1,0 ng/ml: BAIXA RESPOSTA.
Ainda com baixa resposta, teremos por volta de 2 a 5 óvulos à indução;

AMH entre 1,0 e 2,0 ng/ml: MÉDIA RESPOSTA.
Os resultados melhoram, esperamos mais de 5 óvulos à indução;

AMH entre 2,0 e 4,0 ng/ml: ALTA RESPOSTA.
Aqui teremos mais de 8 ou 10 óvulos e há também uma correlação positiva com as chances de gestação, que são maiores nestes casos.

AMH > 4,0 ng/ml: MUITO ALTA RESPOSTA.
Nestes casos há um grande risco de Síndrome do Hiperestímulo Ovariano. A indução da ovulação é mais complexa e deve ser feita com muita cautela. Geralmente obtemos mais de 20 óvulos. A taxa de gravidez reduz-se: nem sempre (ou nunca…) quantidade é qualidade.

PRÉ-AGENDAR CONSULTA

Agende sua consulta para saber quais são os procedimentos mais adequados para você.